de graça em graça

O devocional de hoje vai ser especial, além de deixar uma palavra de paz, de encorajamento e amor para podermos iniciar a semana bem, também vou fazer a indicação de um livro que eu super recomendo para quem quer conhecer mais a grandeza de Deus e assim, amadurecer espiritualmente.

 Eu gosto muito dos livros do autor Max Lucado, ele é um dos meus escritores preferidos, e este livro em especial é sobre um assunto que, muitas vezes, a gente conhece, mas não sabe realmente o que é. É sobre a graça de Deus.

img_2035

Você sabe o que é “graça”?

Podemos resumi-lá como o amor incondicional e favor imerecido de Deus. Mas este é só um resumo mesmo, não dá para limitar a graça em apenas uma explicação ou definição porque ela vai além das palavras. A graça não é humana, como a respiração por exemplo, que é um processo biológico possível de ser explicado. A graça é de Deus, por isso Ele se refere a ela como “minha graça”. Da mesma forma que ele se refere ao “seu amor”. O amor de Deus que é incondicional e por mais que devemos amar como ele, nunca chegamos nem perto disso.

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus – Efésios 2:8

img_2063

Deus garante para nós que a sua graça nos é suficiente. É suficiente para nos sustentar nos momentos de dificuldade, para nos dar força quando nos sentimos fracos, para secar as nossas lagrimas, responder os nossos questionamentos, nos tirar da solidão e para nos fazer vencedores. Dessa forma, ao mesmo tempo que não conseguimos explicar a graça, só senti-lá, eu acredito que podemos traduzi-lá em outro nome: Jesus. Deus enviou o seu filho para nós.

Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará com ele, e de graça, todas as coisas?  – Romanos 8: 31-32

img_2057

Neste livro, o autor se baseia na Palavra para trazer exemplos vivos da manifestação da graça nas nossas vidas. Conseguimos compreender e refletir sobre como a graça nos é dada, independente de como nós estamos, dos nossos pecados e problemas, como ela nos molda e transforma a nossa vida, se a gente permitir.

É impossível conhecer a graça e se tornar indiferente a ela. Tenho certeza que este livro será uma benção na sua vida e na vida de quem está ao seu redor.

img_2042

Gostou da minha dica de leitura de hoje? Então aproveite os cupons de desconto no site da Livraria Saraiva para comprar este livro para você ou para presentear alguém. Clique aqui! 😉

Boa leitura+Sessão pipoca

A minha intenção era já ter dado várias dicas de livros para vocês, mas com a correria do último ano da faculdade eu tive que diminuir o ritmo das minhas leituras. Estou demorando meses para conseguir ler um livro inteiro, ainda mais porque eu quero fazer várias coisas e ler vários livros ao mesmo tempo!

Depois de alguns meses eu finalmente consegui terminar de ler esse romance do Nicholas Sparks. Eu estava mega ansiosa para ler porque eu amei muito o filme. Aproveitando, já fica aqui a dica de sessão pipoca também! Sem dúvidas “Um porto seguro” é um dos meus preferidos. Não só porque eu sou apaixonada fã do Josh Duhamel, mas porque a história é linda demais! Eu não me canso de ver e já fiz todo mundo aqui em casa assistir comigo também. Não teve quem não se emocionou!

E como eu amei muito o filme, é claro que eu comprei o livro também! Confesso que eu não ligava muito para essa história de ler primeiro para assistir depois, na verdade eu até preferia ler antes para não correr o risco de se decepcionar quando fosse assistir (já que os filmes cortam e modificam bastante a história original). Mas acho que dessa vez eu deveria ter feito o contrário mesmo, ter primeiro lido para depois assistir. Porque eu não conseguia me desapegar da construção dos personagens e dos cenários que o filme, e daí isso me atrapalhou um pouco. Me emocionei e gostei da história igual, mas eu poderia ter viajado mais se tivesse feito o contrário.

Então fica a dica para quem ficou com vontade de assistir e ler também! A história não é água com açúcar, é romântica na medida certa e com um final impactante!!!

IMG_6428

Unhas e leitura da semana

Essa semana eu fiz mais uma misturinha de esmalte e amei o resultado!

Eu queria um rosa mais fechado, então passei primeiro o esmalte da coleção da Bruna Marquezine para a Ludurana, a cor Segredo, e depois passei o da coleção da Marina Ruy Barbosa para a Hits, a cor Patricinha (os dois têm lá na Bonita Cosméticos). Os dois são esmaltes cremosos e com uma boa cobertura, só precisei passar uma mão de cada para ficar do jeito que eu queria.

Desktop1

IMG_4092

Aproveitando a foto, fica a dica de leitura! Esse livro da Gayle Forman é a continuação do livro “Se eu ficar”. Eu gostei tanto do primeiro que já emendei o segundo (mesmo tendo um monte de livros na fila para ler antes). É um romance nada meloso e previsível. Cada capitulo te instiga a ler mais, e a narração te conduz para dentro da história. Eu sei que já saiu o filme baseado no primeiro livro, mas como eu ainda não assisti, então posso dizer se é melhor ou não. Mas os livros eu recomendo!

Vocês já leram algum deles ou assistiram o filme? 🙂

Então eu achei: livro

image

Para quem não conhece, a Paula Pimenta é uma escritora brasileira (mineira, para ser mais exata), que escreve para o público infanto-juvenil. Para quem não me conhece, sou uma mulher de 30 anos, que entra em qualquer livraria e vai direto para a seção “jovens leitores”. Rs

Foi numa dessas minhas idas à seção de livros infanto-juvenis que me deparei com um item de capa fofa, cheia de bolinhas coloridas, que me lembraram confetes de chocolates e um título simples e direto: apaixonada por palavras. Foi paixão à primeira vista!

Eu já tinha lido algumas coisas sobre a Paula Pimenta e suas famosas séries “Fazendo meu Filme” e “Minha vida fora de série”, mas nunca tinha lido nada escrito por ela. Fui embora da livraria com este livro na cabeça (e outros tantos na sacola). Em casa, pesquisei um pouco sobre a escritora e ai foi identificação à primeira linha! Ela é apaixonada por palavra (como eu), começou a faculdade de jornalismo (como eu), mas mudou para publicidade (como eu), trabalhou com marketing (como eu), é fã da Martha Medeiros (como eu) e largou tudo para virar escritora (quem sabe um dia, também como eu! Rs Decidido: eu precisava daquele livro!

Quando coloco um livro na cabeça não tem jeito. Só sossego quando compro! Então, no dia seguinte voltei à livraria e levei para casa aquela coisa fofa.

Apaixonada por palavras é um livro de crônicas (que eu adoro!). Mais exatamente “crônicas de mulherzinha” (que eu amo para toda vida, amém!). É um compilado de 55 textos que a autora escreveu ao longo de 9 anos. Eles são organizados em ordem cronológica, o que é fantástico, por que faz com que a gente se sinta parte da vida dela.

A Paula (olha como estou íntima) escreve como se estivesse contando algo para uma amiga. Me senti a própria amiga dela (assim como me sinto da Martinha… a Martha Medeiros. Rs)

Ela escreve com simplicidade, sem palavras rebuscadas e o melhor, escreve com o coração. É impossível não se ver colocando o bilhete no para-brisas do carro do infeliz, ao ler “Quase uma chance”. Ela é assim, tão gente como a gente, que acredito que seja automático se identificar nas situações relatadas por ela.

Já deu para perceber que além de apaixonada por palavras, agora sou apaixonada pela Paula Pimenta, né? Não sei se me apaixonei por ela, mas posso garantir que estamos flertando. Rs Esse foi o único livro da autora que li. Mas já estou louca para ler “O livro das princesas”, que ela escreveu em parceria com ninguém menos do que a minha musa Meg Cabot (e outras escritoras), onde elas reinventam alguns clássicos contos de fadas. Depois que ler esse eu escrevo contando se nosso caso é amor para uma vida inteira ou uma paixão de verão.

APAIXONADA POR PALAVRAS

Autora: Paula Pimenta

Editora: Gutenberg

Páginas: 157

 

Beijos,

Andresa

Foto: Andresa Trentini.

Então eu achei… LIVRO: A culpa é das estrelas

photo (1)

Para mim livro bom é aquele que a gente termina de ler e pensa: poxa, podia ter o 2!
Acabei de ler um livro assim. Um livro, que provavelmente vai levar o título de “meu livro favorito”, junto a outros três livros.

Se for para adjetivar, arrisco-me a dizer que “A culpa é das estrelas” é um livro dúbio. Consegue ser doce e amargo, engraçado e triste, tudo junto, ao mesmo tempo.
A narrativa é uma delícia! Vai te levando, e quando vê, você se sente intima das personagens, sabe?
Sou da categoria de leitores que acredita que o livro é uma realidade paralela e enquanto não estou lento fico pensando “o que será que eles estão fazendo agora?!”
A trama é tão possível, que passei os dois dias que levei para lê-lo, me imaginando nela. Pois é, li o livro em 2 dias, o que para mim é o record dos records. Quando eu não estava lendo, estava pensando ou comentando sobre ele.
Em linhas gerais, o livro conta a história de Hazel Grace, uma garota de 16 anos que “convive” com um câncer, o que a obriga estar sempre acompanhada de seu fiel cilindro de oxigênio. Não, o livro não é bobo e não fala sobre a amizade da menina e seu cilindro de oxigênio. A história fala da amizade/paixão/amor entre Hazel e Augustus, um jovem de 17 anos, braços malhados e lindos olhos azuis, que ela conheceu no grupo de apoio a jovens com câncer.

Quando me falaram do livro pensei que seria algo deprimente, que te faz sentir pena de alguém, ou uma coisa meio autoajuda, com exemplos de superação e que no fim das contas quer te dizer “pare de reclamar da vida! Levante este traseiro gordo do sofá e faça mais por você mesmo!” Mas não é nada disso. É só a história de uma jovem que tem dilemas, sonhos, perguntas sem respostas e se apaixona por um garoto que como ela, e 99% dos jovens, tem dilemas, sonhos e perguntas sem respostas.

Terminei o livro muito curiosa. Querendo entender o que se passa na cabeça do autor e em uma “googada” encontrei o site da editora do livro, onde o autor respondeu perguntas feitas por leitores. Fiquei horas lendo… Muito bem sacado! Vale a pena dar uma olhada. Mas atenção: só leia o site depois de ler o livro, se não vai perde a graça!

Sério, estou encantada pelo livro e passaria horas escrevendo sobre ele, o que deixaria esse post incrivelmente chato. Mas ao invés disso, resolvi pesquisar outros livros do autor, para colocar na lista de “próximos” e ver se o encanto permanece.

A CULPA É DAS ESTRELAS
Autor: Jhon Green
Tradução: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca
Páginas: 283

Beijos,
Andresa

 

Então, eu achei: livro

Primeiro fiquei sabendo da existência do filme. No final de 2011 ele estava em cartaz, mas me enrolei e não consegui assisti-lo a tempo. Gosto de tudo o que a Anne Hathaway faz e ela era a mocinha do filme. Como já tinha perdido o filme no cinema, fui pesquisar sobre ele e descobri que era inspirado em um livro. Ah, não pensei duas vezes e corri para comprá-lo.

Comecei a ler o livro, mas a leitura estava meio empacada. Alias isso acontece muito comigo. Começo a ler super empolgada e dou uma desanimada, pois geralmente os livros não mostram a que vieram nas primeiras 30 páginas. Pensei em deixá-lo de lado, mas estava tão curiosa pelo filme e sabia que se não lesse o livro antes de assisti-lo eu  não o leria nunca.

Viajei e levei o livro a tira colo. Passei a lê-lo à noite, no hotel. Fui me interessando tanto pela história e pela dinâmica do texto, que durante os passeios de dia, ficava pensando nas personagens e imaginando o que estavam fazendo enquanto eu passeava. Rs Você já sentiu isso? As vezes me envolvo tanto com o livro que fico imaginando que eles vivem em uma realidade paralela. Rs

“Um dia” conta a história de Emma e Dex, colegas de faculdade, completamente diferentes e que ficam amigos na noite da formatura, em 15 de julho. Este dia é importante, pois todos os capítulos se passam no dia 15 de julho dos 20 anos seguintes, sempre mostrando os encontros e desencontros dos dois, os diferentes rumos que suas vidas tomaram e a força da amizade que se formou.

O livro prende a atenção. Vale à pena passar as primeiras páginas, pois a cada “ano/capítulo” ele vai ficando mais interessante. Fiquei super curiosa. Em alguns trechos sentia vontade de rir e até chorar. Na verdade eu chorei lendo o livro. Acho que em quem não assistiu o filme e não conhece a trama, esse deve ser o feito provocado.

Pois bem, terminei o livro encantada! Com nó na garganta e dor no coração. Com muita vontade de ver o filme para confirmar o que imaginei para os “meus” personagens. Como cheguei no livro por intermédio do filme, eu já lia imaginando a Anne como Emma. Mas eu não me lembrava do ator que fez o Dex e por isso o imaginei diferente. Rs

Cheguei de viagem e corri para baixar o filme. Assisti e fiquei decepcionada… mas isso geralmente acontece quando lemos um livro antes de assistirmos a sua versão de filme. O livro tem mais detalhes e provoca a nossa imaginação. Acho que tendemos a assimilar o que lemos de acordo com as nossas próprias experiências, o que faz com que demos mais ou menos destaque para algumas situações.

Acho que o filme é mais ou menos a interpretação do roteirista ou do diretor (realmente não sei, pois não entendo nada de cinema… rs) para o texto. E às vezes, na avaliação deles, fatos super relevantes para a gente não tem tanta importância para a trama. Quem sabe?

Acho que se eu tivesse assistido o filme antes de ler o livro, teria me apaixonado pelos dois. Mas como fiz o contrário, amei o livro e não gostei do filme.

Então, eu acho que de qualquer forma os dois valem à pena. Quem gosta de filme, assista-o. Quem gosta de livro, leia-o. E quem, como eu, gosta dos dois, faça o contrário do que eu fiz: primeira assista ao filme e depois leia o livro.

A orelha do livro resume bem a trama, mas não representa exatamente o que eu senti quando o li. Só consigo descrevê-lo com uma “palavra”: PUTZ!

Segue abaixo a descrição que está na orelha do livro:

Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro.

Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas – vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.

Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Aguçou a curiosidade? Confira aqui a página da editora sobre o UM DIA. Nessa página tem o trailer do filme e o 1° capítulo do livro. =)

LIVRO

Um dia

Autor: David Nicholls

Páginas: 410

Editora: Intrínseca

Beijos,

Andresa

livro-um-dia

Foto: reprodução.

Então, eu achei: livro

Depois que comecei a fazer aulas de francês tenho tido certa obsessão por tudo o que fala de Paris e tudo o que tenha a ilustração da Tour Eiffel. Esse livro tem as duas coisas… rs

Ganhei o livro de presente no Dia dos Namorados de 2012, mas como estava enrolada terminando o trabalho final do meu MBA e lendo outro livro, o “almoço em Paris” ficou na prateleira me esperando.

Um dia resolvi adiar o final da leitura do outro livro para finalmente conferir o que tinha de tão especial em um “Déjeuner à Paris”. O livro mistura romance e receitas. Hummmm delícia! Mas, como não sei nem fritar um ovo, as receitas não me chamaram muita atenção. São receitas mais “sofisticadas”, que levam ingredientes diferentes… enfim, eu lia só as referências das receitas, pois elas faziam parte do contexto da história, e seguia em frente.

O livro conta a história de Elizabeth, uma jornalista completamente cosmopolita, que conheceu um rapaz francês e depois de um tempo namorando à distância, resolveu se mudar para Paris e morar com ele. Ela descreve as situações inusitadas que passou para se adaptar à cidade, aos costumes e às pessoas.

Achei super interessante! Dá vontade de conhecer as feiras que ela frequentava para comprar frutas, verduras, flores e peixes.

No meio da leitura desse livro fui à livraria e me “apaixonei” por outras capas (geralmente escolho o livro pela capa! Rs). Comprei outros livros e fiquei doida para lê-los. Para não abandonar o “Almoço em Paris”, resolvi dividir as páginas que faltavam para terminar o livro por 7, para concluí-lo em uma semana, e assim passei a ter metas diárias de páginas para leitura.

Deu certo e não deu ao mesmo tempo. Eu consegui terminar o livro no prazo, mas acho que não aproveitei tanto a leitura quanto eu poderia ter aproveitado. Gosto de ler, parar e imaginar a cena, para depois voltar a ler. Como eu tinha uma meta diária, eu não podia parar para imaginar… eu tinha que ler, ler, ler e ler.

De qualquer forma, gostei bastante do livro. A história é bem contada (lembrando, não sou crítica literária!), bem amarrada e no final eu já me sentia amiga e confidente da “Beth” (íntima, né? Rs).

Aaaa, o mais legal é que a história é verídica! A autora diz que alguns nomes foram trocados para manter a privacidade, mas que infelizmente, ou felizmente, o nome do namorado não teve esse privilégio.

ALMOÇO EM PARIS

Autora: Elizabeth Bard

Tradução: Alexandre D’Elia

Editora: Leblon

Páginas: 384

Beijos,

Andresa

almoc3a7o-em-paris

Foto: Andresa Trentini.

Então eu achei: livro

Eu já estava angustiada, olhando diariamente essa capa (linda) há quase 4 meses. Comecei a ler esse livro em agosto de 2012. Estava ansiosa para começá-lo. Tão ansiosa que estipulei metas diárias de páginas para terminar o livro anterior, que eu já tinha começado a ler quando o comprei.

Em alguns momentos a leitura ficou arrastada, puxada, sem graça. Não tinha a mínima vontade de lê-lo e acabei começando outros livros no meio do caminho. Mas ele estava sempre ali, no criado mudo, na escrivaninha ou na minha bolsa me “assombrando”. Eu queria saber o desfecho da história, mas não tinha muita paciência para o lenga lega. Passei todo esse tempo carregando o livro para todos os lugares que eu ia: trabalho, casa do namorado, shopping e até pra academia (é, não faz muito sentido). O coitado ficou todo amassadinho…

Cheguei a procurar na internet uma resenha que contasse o final, ou que realmente despertasse em mim a vontade de terminá-lo.

Até que um dia resolvi me “livrar” dele e dar um gás na leitura. Li o “lenga lega” até que a história começou a ficar mais animada e as coisas começaram a se encaixar. Fiquei curiosa e ansiosa pelo próximo capítulo e o próximo, o próximo. O livro me surpreendeu e ficou muito bom!

Terminei o livro numa manhã de feriado, com uma dorzinha no peito e uma vontade de que tivesse um “A última carta de amor – parte 2”! Muitas coisas se acertaram no final das contas, mas não foram desenroladas pela autora.  Na minha cabeça as personagens se deram bem, mas sempre vou ficar com aquela dúvida se o que fiquei imaginando para eles realmente aconteceu.

Fiquei pensando que poderia ser uma história verídica, um filme ou até mesmo uma novela (dada a semelhança com o lenga lenga que sempre rola na metade da trama).

No final das contas adorei o livro! Mesmo!!!  Gostei tanto que sinto saudades dessa capa bonita me acompanhando e pesando na minha bolsa por ai.

E mais uma vez, vi que devo insistir na leitura mesmo quando ela fica desinteressante. Geralmente vale à pena quando chega ao final.

A ÚLTIMA CARTA DE AMOR

Autora: Jojo Moyes

Tradução: Adalgisa Campos da Silva

Editora: Intrínseca

Páginas: 378

Andresa Trentini

Captura de tela inteira 12062013 150727

Foto: Andresa Trentini.

Então eu achei: livro

Já posso eleger o melhor livro que li em 2013?

Quando me perguntei isso, tínhamos acabado de passar a primeira quinzena do primeiro mês de 2013. Meio cedo para eleger o melhor livro que li num ano que mal saiu das fraldas ainda, né? Mas esse livro é tão, tão, tão legal, que eu acho que já posso elegê-lo como o melhor de 2013.

Nossa, desde que comecei a lê-lo, não paro de dizer que as pessoas vão “pirar” quando lerem “Um lugar na janela” da Martha Medeiros. Tenho feito tanta propagando do livro que o risco das pessoas criarem muita expectativa com os meus comentários e se frustrarem depois é bem grande.

Acredita em destino? Eu acredito e tenho certeza de que estava no meu destino ler esse livro. Vou explicar: em menos de uma semana ganhei 2 exemplares desse mesmo livro. É ou não é coisa do destino? Um dia o namorado comprou este livro pela internet para mim e três dias depois ganhei o mesmo livro de amigo secreto.

E não poderia ter sido presente melhor. O livro é muito bom! A Martha Medeiros é muito divertida e escreve de uma forma leve, coloquial e muito próxima. Ela tem o dom de fazer com você se sinta sem fôlego com a altitude de Machu Picchu, deslumbrada com o mar de Fernando de Noronha, correndo na chuva em Paris… enfim, pelo menos foi assim que me senti.

Esse livro deveria ser patrocinado por alguma agência de viagens. Certeza de que venderiam  muitos pacotes! Rs Acho impossível a pessoa lê-lo e não pensar em quais serão suas próximas viagens. Em janeiro, quando o li, eu estava com duas viagens programadas para esse ano, uma das quais acabei de voltar e a outra que irei em breve, e fiquei com as lombrigas assanhadíssimas para programar mais umas cinco. Pena que não vai dar, pois não ganhei na mega da virada!

Mas se engana quem pensa que este é um livro com roteiros de viagem. Não é! É um livro de relatos de viagem. E acho que por isso ele é tão legal.

A própria Martha (sou íntima, viajamos juntas pelo livro! Hahaha) diz que o livro “transmite um espírito de viajante”. Não é o máximo?

Clique aqui, veja o que a própria autora fala sobre livro e tire as suas conclusões!

Então é isso. Espero que gostem do livro  tanto quanto eu gostei.

Agora vou indo nessa, preciso preparar o roteiro das minhas próximas 5 férias! =)

UM LUGAR NA JANELA – RELATOS DE VIAGEM

Autora: Martha Medeiros

Editora: L&PM Editores

Páginas: 191

Beijos,

Andresa

Captura de tela inteira 04022014 215844

Foto: Andresa Trentini.