Plano Bê: equilíbrio

feng-shui-1516582_960_720Caiu, finalmente, a minha ficha que nada no mundo compensa eu perder minha paz. Do lado de fora há sempre um barulho insano e achei melhor eu tentar consertar só o meu mundo. Aquele do qual depende meu equilíbrio e minha paz e se não estiver tudo bem aqui dentro, não haverá lugar no mundo que me deixe em paz. Para estar em paz, é preciso estar em casa, agora e aqui.

Eu não sei amar pela metade, escrever sem romantizar, ver a maldade e não me importar. Eu não sei viver se não for para exagerar, se não for intenso. Mas às vezes não vale a pena mesmo. Me importei muito ultimamente com gente que não se importa. Senti raiva de coisas que não devia e saí de mim.  Eu não sou assim, não gosto de sentir raiva. E a minha alma não suporta, não consegue ver a luz nem viver dentro de um corpo raivoso!

Por hoje é isso, simples, leve e certeiro!

Bethania Davies

Plano Bê: solar

girasoleDizem que a flor, que conhecemos como Girassol, era uma estrela apaixonada pelo sol que, todos os dias, chegava mais cedo no céu só para poder vê-lo. Mas seu amor era impossível, já que ela era destinada a brilhar a noite e acompanhar a lua.

Um dia ela foi pedir ao rei dos ventos que encontrasse uma forma para que ela pudesse viver este amor e ele então lhe disse que sendo uma estrela isso nunca seria possível, mas que, se ela renunciasse ao céu e viesse para a terra, ela poderia sentir o toque do seu amado todos os dias.

Sem pensar duas vezes a estrela concordou e veio para a terra em forma de semente. As mais lindas chuvas, enviadas pelo rei do vento, a fizeram crescer e o sol a fez florescer e explodir todo seu amor em forma de uma estrela com pétalas amarelas. Desde então sua energia vital é o sol e ela passa seus dias olhando para ele e seguindo-o por onde ele for.

Essa historinha me fez pensar sobre o quanto queremos realmente as coisas para nossa vida. O quanto estamos dispostos a abrir mão, em nome de um objetivo maior. O quanto aproveitamos o toque do amor, o calor dos que nos rodeiam e o quanto somos perseverantes quando o “tempo está fechado”. Um dia de chuva é uma delicia pra ficar em paz, ler, escrever, pensar e organizar a “casa”, mas quão maravilhoso é um dia de sol!

Olha só, ontem eu estava pensando em quanto tempo eu conseguiria manter meu discurso e minhas atitudes positivas, duvidando de tudo que é capaz de me fazer rir, e hoje acordei com uma puta vontade de ligar para o Serviço de Atendimento ao Consumidor de qualquer marca pra perguntar se a moça do outro lado está bem.

O sol tem mesmo esse incrível poder de despertar em nós a vontade do novo. Essa vontade de correr atrás de algo.É uma energia que toca nosso mundo com autoridade e os move. Sol dá vontade de fazer acontecer. Aquele sonho antigo, aquela coragem enferrujada e aquela voz negativa na sua cabeça não tem a menor chance num dia de sol.

Manhã de sol, sexta com sol, sábado de sol, praia com sol, piquenique com sol e até segunda-feira com sol é incrível. O escuro da noite não deixa a gente enxergar soluções, saídas, recomeços, mas basta amanhecer que tudo se transforma em possibilidades. Sabe por quê? Porque, como a estrela apaixonada pelo sol, não fomos feitos para caminhar na escuridão.

Por isso eu desejo que você sempre caminhe na luz. Faça uma loucura, lute e vá em busca do seu sol, sinta a vida correndo em suas veias e a vontade de voar bem alto quando o dia está azul e o sol chega. Que seus dias sejam todos ensolarados.

Bethania Davies

Plano Bê: a cura

85172dbae8cae124416186efe3a7c9a8Eu sou assim: quando eu me encanto com alguém fico doente.

Aconteceu comigo quando te conheci e, mesmo que eu já tivesse visto esse filme dezenas de vezes na minha vida, eu quis me jogar. Tudo bem, o risco foi meu, o coração é meu e eu o dou pra quem eu quiser e queria dá-lo a você. Você sabia disso e se fez de bobo. Um bobo lindo por sinal. E eu adoeci de amores. Só que, de certa forma, algo esfriou entre nós. E agora não sei se eu que sou exagerada – com essa minha facilidade de gostar, me entregar e fazer planos – ou se foi você que quis pouco mesmo de nós. Você podia ter tido tanto de mim, se quisesse você poderia ter me ganhado para sempre, mas não te contei que o meu ciclo vulnerável dura apenas sete dias, depois disso os meus anticorpos reagem e a cura chega com a mesma rapidez que adoeci. As vezes tenho medo de te perder pra minha própria indiferença.

Sei que digo isso com tamanha convicção só porque você está longe, porque o incrível da paixão é que – diferente de outras doenças – ela é um vírus que a gente adora pegar, né?  E se eu soubesse onde você está, te buscaria e me exporia de novo, quantas vezes fossem necessárias, aos altos riscos contaminatórios desse teu sorriso. Eu não tenho medo de gostar, pelo contrário, parece confuso, mas eu tenho medo mesmo é de ficar curada; medo dessas minhas fases imunes, que sempre trazem junto ceticismo e frieza. Gosto muito mais de mim quando eu gosto de você e o teu amor ainda é o meu melhor remédio.

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Plano Bê: toda sã

9933d0b8bea1c21ed315b1932a862a6c

Saúde é ter amigos, sorrir leve, ter alguém a quem amar. Ser saudável é ser livre! Livre de padrões e critérios tolos, hipocrisias medíocres. Bronzeado correto é aquele de quando ficamos vermelhos, mas de tanto rir. Cérebro perfeito é aquele que não tem qualquer preconceito e está sempre disposto a aceitar coisas novas, ver o mundo e aprender. Coração forte é aquele que bate com paixão; estresse e rotina não existem no dicionário de quem ama o que faz.  Fígado ‘zero bala’ é aquele de quem se reúne com os amigos numa sexta pra tomar uma e rir das coisas da vida. Sorriso saudável é aquele que escapa fácil, salta de felicidade. Pés saudáveis são aqueles que caminham descalços na grama frequentemente e voltam a ser criança pra chutar as poças d’água.  Garganta saudável é aquela pela qual sempre escapa o som de uma música – desafinada mesmo – ou uma gargalhada gostosa sem pedir licença. Joelhos saudáveis são os que se dobram numa oração sincera. Corpo em perfeita forma é aquele que não desiste da vida, é aquele cujo espírito é livre e não admite envelhecer porque continua a acreditar nos sonhos e na força que vem de dentro. Vida saudável é aquela de quem só deseja o bem ao seu semelhante, desejar o mal é pensar no mal, é deixar que ele se instale. Quem deseja o bem mostra que é só de bem que se vive.

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Plano Bê: era uma vez…

plano beEla era uma menina inteligente tirava boas notas, mas não era popular. Ele todo bagunçado e não penteava o cabelo direito para ir pra escola. Porém, tinha muitos amigos para brincar no recreio. Na segunda série ele ainda não sabia ler direito. Reprovou. Ela não. Era experta e foi melhor aluna da sala todos os anos até sair da escola. Ele ficou na segunda por mais uns dois anos. Ela sonhava em ser cantora. Ele jogador de futebol. Fazia gols e corria de braços aberto igual ao Bebeto na aula de educação física, enquanto ela passava o tempo a escrever pelo caderno frases das musicas da dupla Sandy e Junior. Sempre se viam, mas não tinham uma opinião formada um do outro.

O tempo passou, sempre passa. Os dois já não estudavam mais na mesma sala, mas ela acabou notando que ele era um garoto legal. Ele não notou nada; era apaixonado por uma colega de sala que não queria nada da vida, aquelas patricinhas. Todos adolescentes. Ela tinha raiva porque os meninos sempre gostavam das patricinhas, aquelas com pose de menininhas frágeis que se vestiam de rosa e tinham cadernos da Barbie, e ela definitivamente não era uma. Mas insistiu e conseguiu ganhar o coração do menino. Namoraram escondidos por um tempo até que os pais dele resolveram se mudar pra Marte. Mentira! Não era outro planeta, mas era tão longe quanto. Bem mais longe do que ela podia compreender. Ela ficou na pequena cidade. O que dois adolescentes poderiam fazer? Separaram-se.

Ele foi pra rever os amigos umas três vezes depois, e quando se viam sentiam tudo de novo! No entanto, por uma daquelas coisas que não se sabe explicar, não conseguiram ficar juntos. Depois de algumas poucas idas ele nunca mais voltou. Era óbvio que ele tinha feito amigos lá, encontrou um jeito de ser o carinha popular lá também, na cidade onde foi morar, já não precisava dos antigos amigos, cresceu, mudou. As coisas também mudaram pra ela. A moça que não era popular cresceu e aprendeu a se garantir. Ele se casou. Ela se formou no colegial no mesmo ano em que ele foi pai. Ela decidiu que não iria pra faculdade e arrumou um emprego e um namorado, namorou por quatro anos. Ele se separou no ano em que ela planejava se casar.

Sempre se lembravam um do outro, mas o tempo havia roubado tantas memórias e mudado tanto os caminhos que era desnecessário sofrer de novo por algo que já havia doído tanto. E talvez nunca mais pudessem se encontrar. O namoro dela acabou por um desses motivos que a gente não sabe. Ela se mudou de cidade. Ele se mudava uma vez por ano agora, não era do tipo que criava muitas memórias num lugar e tinha uma namorada, uma patricinha, em cada cidade que passava. Nunca deixou de ser lindo. Ela que nunca foi nem bonita nem patricinha, agora entendia por que nunca conseguiu se parecer com aquelas meninas: é que elas não tinham opinião nem vontade própria. Já ela se tornou uma mulher linda, inteligente, culta e sempre pensava no quanto ele se orgulharia de vê-la agora.

Ele quebrou a cara várias vezes e aprendeu bastante também, se tornou um homem, o que ela aprendeu na escola e nos livros ele aprendeu na vida. Ele acumulava dinheiro porque sentia que um dia a encontraria e então poderia pedir pra que, dessa vez, abandonasse tudo partisse com ele. Agora ele é pai e homem de negócios e ela foi pra faculdade. Muita coisa mudou, os planos e sonhos da infância tomaram outros rumos. A vida se fez como devia ser. Ela gosta de sertanejo e ele vai para o pagode. Ela se apaixona toda semana e ele nunca se esqueceu dela. Nem ela, mas ainda assim se apaixona, é que ela adora se apaixonar, e o medo de ser deixada novamente não a deixa se entregar.

Agora ela tem 24 anos, muitas paixões e nenhum namorado. Ele tem 25, muitas namoradas e nenhum amor. Ela já está se preocupando com o que irá fazer com sua vida, 24 é uma idade chata. Ela ainda não é cantora ele também não é jogador… Encontraram-se pela internet no ano passado. Ele queria vê-la, ela não. Ele se mudou pra perto e insistiu, ela continuava alegando que doze anos é muito tempo, que eles não eram mais os mesmos. Só que o que ela não sabia era que depois de tanto tempo ele ainda tinha aquele poder de convencimento sobre ela e a convenceu. Então tentaram.

Amor só termina quando se prova que terminou e eles ainda estão tentado. De resto, nada de extraordinário, é uma historia de amor como outra qualquer, mas depois de tanto desencontro o novo começo já está melhor que a encomenda.

Bethania Davies

 

O blog em 2014

Já estamos em 2015 gente!!! Deus nos abençoou com novas 365 oportunidades de crescer, amar e perdoar! Antes de começar os posts desse ano, quero agradecer pelo crescimento do blog em 2014. Com muita alegria subimos mais um degrauzinho! Para vocês terem uma noção da minha satisfação e da minha gratidão por esse projeto estar dando tão certo, vou postar para vocês o link do relatório que o WordPress me enviou. Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 35.000 vezes. Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 13 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo Muito obrigada minhas leitoras e leitores! Que Deus me ajude a fazer o blog prosperar cada vez mais para vocês! Beijos ❤

Plano Bê: promessa pra nós

174522_orig

Semana passada conheci uma Igreja nova e, como ouvi dizer uma vez que sempre que conhecer uma nova Igreja, as pessoas devem fazer um pedido, eu fiz o meu. Pedi pra você ser meu namorado. Sabe, eu acho que tô te querendo mesmo. Eu nunca pedi tanto pra ter alguma coisa e, desde que te conheci, peço todos os dias você na minha vida pra sempre. Na Igreja, tinha Nossa Senhora Desatadora dos Nós e eu pedi a ela que desatasse esse nó que eu fiz: você. O nó mais lindo que eu já vi. Lindo, maravilhoso, perfeito, sincero, sensacional. Um nó ao qual eu ataria todos os meus dias, minha vida inteira.

Eu prometi que voltaríamos lá pra agradecer. Desculpe, me adiantei e fiz uma promessa pra nós dois, agora você precisa me ajudar a cumprir (risos). Mas relaxa, segue só. Acredita que justamente a palavra dizia: “Buscai e achareis, pedi e recebereis…”. E no sermão eu ia ouvindo: “Vocês precisam ser inoportunos com Deus, vençam Deus no cansaço, peçam até que Deus não aguente mais ouvir sua voz…”.  Naquela hora eu sorria como uma criança em manhã de natal, porque, sinceramente, estou realizada! Se prepare, não tem pra ninguém: você vai ser meu! Acho que Deus, quando vê eu me preparando para rezar, pensa: “lá vem ela!” E lá vou eu de novo pedir você. Todos os dias. Todos os dias. TODOS OS DIAS desde que te conheci.

Não adianta, esquece, pode se entregar. Você faz um esforço enorme pra ficar longe de mim e as circunstancias estão naturalmente te trazendo pra perto. Desiste. Você vai ser meu. Meu amor, meu namorado, meu homem, meu amigo, meu tudo que você quiser. Você pode escolher. Não seja tão cabeça-dura, nem orgulhoso! Eu despejo minha alma nessa folha todos os dias pra você, sem medo. Coloquei as armas no chão e levantei a bandeira branca. O surreal venceu. O amor venceu.

Bethania Davies

Curta a página do blog no Facebook!

Foto: reprodução.

 

Plano Bê: crescer

tumblr_meslwoNxbM1rs8i79o1_500

Ela cresceu e é livre para ir agora mesmo se quiser, mas escolheu permanecer e iluminar os dias de quem passa e tem a graça de vê-la sorrir. Escolheu ser ventania que determina a direção do mar quando poderia ser folha que cai e se deixar levar. É isso que eu acho bonito: a força dessa menina, as cores que ela traz. Sorriso claro de quem sabe que a vida é maravilhosa, mas que não perdoa quem para no tempo. Por isso ela não para, e realiza todos os dias coisas que até Deus duvida, pois tem a força correndo nas veias. Já não é mais menina, pois aprendeu a andar de salto alto sem se desequilibrar e também a pedir desculpas dos erros que comete, aliás, ela erra muito! Mas errar é privilégio só dos que tem coragem de viver. Ainda não é mulher, pois continua com aquela mania de roubar meu pirulito quando chega. Ai de mim se não entregar! É tão feliz que nem percebeu que já cresceu e, talvez, se ela tiver sorte, nunca vai perceber. Assim vai conservar as covinhas de menina arteira na bochecha pra sempre, e as coisas do mundo nunca vão lhe aborrecer como aborrecem aos adultos. É, ela tem sorte, 20 dezembros e o colo da mãe ainda é o seu lugar preferido pra onde ela corre quando quer se esconder. Quem olha pensa que o esconderijo é ela, de tão forte, de tão verdadeira. Mas ela também tem seu cantinho onde recarrega as baterias antes de sair por aí distribuindo seu brilho, estendendo sua mão. Meu porto seguro é ela e, se eu tiver sorte, nunca vou perdê-la e ela vai continuar acordando todos os dias pra mim, pra tocar meu sol e deixa-lo mais lindo. Pra colorir minha vida e me ensinar a não crescer, a não perder a fé. Se eu tiver sorte, e espero que eu tenha.

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Plano Bê: prezado amor

Captura de tela inteira 08052014 153134

Não há defeito em você. Não há defeito em seus olhos cor de vida que, tocando o horizonte, fazem o sol se por mais lindo cada dia que finda. O mundo é bem mais radiante desde que nasceste, é feliz só por receber tua aura, contar com ela. Até a chuva que molha teu rosto cai com calma por medo de tocar, por saber da preciosidade que há em ti, se deleita e saboreia cada pingo absorvido pela tua pele inquieta, cheia de caprichos.  Eu tento não te achar perfeito, mas não sei mais onde mais procurar. Tudo que penso é como tu és sempre melhor do que eu, e o quanto sou uma mera telespectadora da tua graça que passa, dança no ar e sai de cena deixando a vontade de ver, sentir e viver tudo de novo, de ficar só mais um pouco na tua presença. Sou ouvinte assídua da tua voz que enfeita o espaço aéreo inteiro da minha vida. Sou seguidora dos teus movimentos sempre tão certeiros e adequados. Eu que, toda bagunçada e desastrada, vivo à espreita da oportunidade perfeita pra tropeçar no tapete e quebrar algo, ou enroscar o casaco em alguma maçaneta; só posso agradecer por teres me escolhido pra ser tua. Sou aprendiz da tua perfeição e da tua postura tão convicta e inabalável. Eu que, insegura duvido até da minha sanidade mental ao escrever-te estas linhas, pois meus sentidos enlouquecem cada vez que penso em ti. Sou testemunha dos teus atos tão precisos. Eu que, menina arteira, não penso muito pra falar. E tu, sempre tão coeso, a frase perfeita no momento exato, tão conveniente quanto um controle remoto que está ao alcance da mão no sofá em um dia frio. Eu não sei o que fiz de certo pra te merecer, não tenho certeza, mas agradeço e te dou em troca toda minha verdade, minha realidade e a certeza do meu amor te acompanhando aonde quer que vá.  És sempre melhor e, até quando faço uma piada, fico imaginando o quanto terias superado minha performance. Talvez cem mil anos luz à frente do meu curto e limitado raciocínio satírico, eu consigo, em alguns segundos, me dar conta do meu fracasso como humorista e fazer uma lista mental de quais trocadilhos melhores e mais engraçados você teria usado no meu lugar. Você sim tem graça, e eu que já tenho pouca, perco o resto ao te ver chegar tão lindo. Você é sempre melhor do que eu. Você merece todo meu amor desde o dia que abriu os olhos, teu sorriso te faz merecedor. E a cada dia eu vejo o quanto és a pessoa certa e o quanto eu devo melhorar pra te merecer de verdade. Só por você eu sou melhor hoje do que fui ontem, e qualquer coisa que eu faça, é para que você se orgulhe de mim, e se isso não é gostar de alguém eu não sei o que é. Ache graça porque estou aqui me declarando e colocando as cores da minh’ alma no papel como o artista que joga a tinta ao acaso e no final a obra fica linda, porque o artista sabe o que faz. Ache graça, mas te quero assim, e isso justifica os meios, o amor é o que importa no fim.

Bethania Davies