O melhor remédio que existe

o melhor remédio 1Recentemente fiquei doente. Nada muito grave, tudo indicava ser uma crise de rinite das brabas. Assim que eu identifiquei os sintomas, já fui logo tomando um antialérgico. Tudo certo!

Na verdade não muito, porque os sintomas que deveriam estar melhorando, começaram a incomodar mais. Foi aí que eu percebi que tinha algo errado. Será que o remédio que eu estava tomando não era bom? Fui ao médico.

E eis que o mistério foi revelado: a rinite na verdade não era rinite, era gripe. E remédio de alergia não cura gripe. Certo?

Eu lembro que o médico me disse que se eu continuasse só tomando o antialérgico, alguns sintomas da gripe poderiam ser camuflados e quando eu percebesse, a gripe já poderia ter virado uma pneumonia. E aí eu entendi que o problema não era o antialérgico. Era eu.

Eu não sei que tipo de enfermidade você possa estar passando agora. Talvez seja um resfriado ou uma gripe como a que eu tive, talvez seja a tal da rinite mesmo. Talvez o seu problema não seja nem questão de saúde, pode ser um vício ou uma depressão. Talvez o que você esteja sentindo nesta hora seja uma frustração ou a falta de algo que possa preencher o vazio que está aí dentro.

O que eu sei, é que independente de qual for o seu problema, o remédio não basta ser “bom”. Ele precisa ser o remédio certo.

O remédio bom pode até dar uma melhorada nos seus sintomas na hora, mas depois tudo volta com mais força. E é aí que está o perigo. Você pode não estar sentido os sintomas, mas o problema continua dentro de você. Ele adormece e acorda como um gigante. E aí a cura leva mais tempo. Nesse meio tempo você corra o risco até de desenvolver outras doenças e complicar seu quadro clínico.

O remédio certo é aquele que vai te tratar e não aquele que vai te fazer sentir melhor na hora. 

Quantas vezes na sua vida, nas mais diversas situações, você preferiu resolver o seu problema com algo que fosse te dar um alívio imediato. Com algo que, ao seu ver, era tudo o que você precisava para resolver o problema. Que você achou que sabia o que estava fazendo. Você fez uma escolha e tomou uma atitude que parecia boa. Mas que depois o efeito passou e o que te incomodava, voltou a incomodar ainda mais.

Se você me permite, não sou médica, mas tenho autorização do médico dos médicos para te prescrever um remédio que é bom e que é certo para curar exatamente o que você está sentindo agora: Jesus Cristo.

Não deixe sua gripe virar uma pneumonia, experimente! 

Foto: reprodução.

Agradecer sempre

Nada se compara a um coração grato! Um coração onde transborda gratidão não permite que os olhos, ouvidos e nem a boca se fechem diante das bençãos que caem sobre nós, muitas delas sem ao menos merecermos.

Uma das coisas que mais me revoltam, é a ingratidão! Quem somos nós para acharmos que podemos algo sozinhos? Para achar que as coisas acontecem apenas por nossos próprios méritos? Para acreditar que o nosso umbigo é tão bom assim para tudo girar em torno dele?

A ingratidão é o atestado de ignorância. Sinal claro de falta de sabedoria.

Seja humilde e reconheça cada benção que o Senhor te dá. Desde o ar que você está respirando neste momento, o calçado que você tem no pé, a comida que você come, a cama em que você dorme, as pessoas que estão a sua volta, até as novas chances e oportunidades que Ele revela para você.

Você pode demonstrar a sua gratidão à Deus reconhecendo o seu favor ao dizer “obrigado” em uma oração em voz alta, quando agradece em pensamento e quando age de forma grata com as pessoas – aquelas que você conhece e aquelas que você nunca viu antes.

Mas, lembre-se! De nada adiantam palavras de gratidão saírem de sua boca se o seu coração não é grato. O que Deus olha é o seu interior e as suas intenções. E acredite, quando Ele encontra um coração cheio de gratidão, a sua alegria e satisfação descem em forma de mais bençãos para nós.

Então, agradeça SEMPRE!

Desktop22

Plano Bê: caí direitinho

2 (1)Escuta aqui! Você não pode chegar assim na vida de uma pessoa e ir fazendo o que está fazendo, não! Você me deixou pensar que eu tinha o controle. E fui te dando espaço até não ter mais o controle de nada.

Você me enganou e eu caí direitinho! Chegou com cara de quem nada queria, sorriso de criança quando abre caixa de presente e me tocou de mansinho como o vento perfumado que balança as árvores no mês de setembro. Baixei a guarda achando que você era inofensivo e agora olha eu aqui, escrevendo para você feito uma adolescente bem boba. Eu sempre pareço uma adolescente boba quando me apaixono. E, para não restar nenhuma dúvida, sim, eu estou apaixonada.

Foi diferente dessa vez. Não foi urgente como sempre são as coisas do amor na minha vida, foi tranquilo, foi terno e leve. O que há com você, hein? Tempestade e calmaria ao mesmo tempo, você tem o dom de fazer grandes coisas acontecerem sem que eu mesmo perceba. Foi entrando sem fazer muito alarde e pressentindo que vou querer te convidar para ficar para sempre, pois você jogou por terra todas as minhas teorias de que amor é algo complicado. Tudo é tão fácil com você, tão leve e tão natural que, ontem, quando percebi, estava tendo que me controlar para não te chamar de “amor”. Ainda estou.

Ah, meu Deus! Você faz ideia de quanto tempo faz que não tenho vontade de chamar alguém de “amor”?

Caí direitinho no labirinto de emoções que você trouxe. Eu não sei o que você está fazendo comigo, eu não sei nem o que eu estou fazendo comigo em relação a você. Só sei dizer que te conhecer foi como encontrar um lar. Eu disse “muito prazer”, mas minha alma sussurrava “quanta saudades eu senti”. Foi lindo!  Teu abraço é como voltar para casa, agora entendo por que sinto tanta paz dentro dele. Me sinto em casa ouvindo teu coração pulsar no mesmo ritmo do meu.

Você me enganou e eu caí direitinho. Caí em todas as armadilhas de amor possíveis. Logo eu, que sempre fui tão astuta. Caí de amores desde a primeira vez e todos os dias escolho cair de novo, levando isso adiante. Estou caindo de amores agora mesmo, te escrevendo e imaginando você lendo e sorrindo de canto de boca.

Caí na armadilha quando mandei a primeira mensagem “só para ver qual é a dele” e depois a segunda e depois a terceira e, quando percebi, já estava sorrindo feito boba olhando para a tela do celular falando com você quinze horas por dia. Caí na armadilha quando firmei meus olhos nos teus e vi o tempo parar ali, e eu, que sempre ganhei nos jogos de amor, naquele segundo, perdi.

Perdi quando desejei provar o beijo e depois descobri que nunca antes, um beijo foi tão verdadeiro. Nunca antes, um beijo conversou com minha alma como o teu beijo faz. Foi como se toda a minha vida eu tivesse vivido para aquele momento e só. Todo o passado e todo o futuro se encontraram quando olhei para você e você sorriu.

Quando encontrei você, eu encontrei o que eu estava procurando. A espera acabou, a busca acabou, a tempestade acabou, e o melhor de tudo é que a nossa vida está só começando!

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Plano Bê: você não vai saber

Processed with VSCOcam with p5 preset

Posso te falar qualquer coisa já que quer saber de mim. Quer saber se eu tô bem? Eu sim.

Por aqui tudo continua do mesmo jeito, apesar de tão diferente. É difícil de entender mesmo. É que eu ainda sou a mesma que você deixou, tudo está no mesmo lugar, mas tem umas coisas que não vem ao caso.

Eu vou sobreviver e isso é tudo e não precisa vir aqui dizer que se preocupa comigo porque eu não quero nem te ver. Por que esta curiosidade sobre minha vida agora?

Tem coisas que você não precisa saber.

Tem coisas que você nunca vai saber. Por exemplo, que toda essa minha ira é medo de te ver. Você não precisa saber.

Eu tenho medo de não me segurar e dos meus olhos me denunciarem.

Nada disso você precisa saber. Que eu ainda me importo o suficiente, que eu guardei nossas fotos só para olhar teu sorriso escondida toda noite depois que a cidade vai dormir.

Eu ainda espero que as circunstâncias nos reaproximem e rezo todo dia pra isso acontecer, mas isso você nunca vai saber.

A minha vida meio do avesso, mas já fiz demais por nós dois, já não há muita coisa para dizer. Talvez eu te ame por mais dez anos, ou dez dias.

Mas isso você nunca vai saber.

Bethania Davies

Plano Bê: sozinha em casa

4782743725_28c2527d2f_b-1Quando chegou eu senti o maior medo. Um medo que nunca senti antes na vida. É que faz tanto tempo que um sorriso e uns olhos brilhantes, me remetendo a cilada que a gente torce pra cair, não faziam esse coração saltar no peito. Tinha esquecido como era.

Torci para ser um ataque cardíaco.

Era amor.

Eu entrei em pânico.

O pânico é o sentimento de quando você está perdendo o controle. Apaixonar-se é perder o controle. É como planejar a viagem de férias para praia e ir para a montanha, você nunca sabe o que vai acontecer. E eu, que sou tão calculista, odeio perder o controle.

O medo de perder o controle faz você se afastar de tudo, guardar seu coração em um baú com cadeado de aço e esconder o baú no sótão. É como se recolher em um mundo de incerteza. Achar que não merece amor.

O medo é ficar sozinho no seu próprio silêncio. Lá tem uma criança te olhando com os olhinhos arregalados. Esta criança é você. Você olha para ela e garante que sabe o que está fazendo, que vai dar tudo certo, quando na verdade não sabe nada e é provável que tudo dê errado.

É como ficar sozinho em casa, todo mundo sai e você se tranca bem para se proteger de qualquer interferência externa que possa perturbar seu ciclo vicioso de solidão. Mas pelo menos ali você tem tudo sob controle. Ali é tudo previsível, tudo seguro, tudo está sob seu domínio. O mundo, as pessoas e o amor são imprevisíveis. Lidar com imprevistos é coisa para os heróis das historinhas, coisa para corajosos.

Fui covarde, me escondi até do meu amor próprio. Eu estava sozinha em casa, bem salva e segura quando você chegou querendo me amar. Pensei: “mas quem ele acha que é para me amar desse jeito? Quanta petulância!”. Mesmo assim quis arriscar. Reuni um último raio de coragem e te convidei para entrar só pra ver até onde ia sua ousadia. Abri as portas.  Da casa, depois do baú de cadeado de aço, depois do coração dentro do baú de cadeado de aço.

Agora você também mora aqui. Somos nós dois em casa. Você chegou e me amou de um jeito que nem eu me amava. Você impregnou minha vida de amor.

Bethania Davies

Plano Bê: ainda dá tempo

tempo-ampulhetaO pior erro do ser humano é achar que existe um destino traçado para cada pessoa e que esse destino um dia irá se cumprir. Mentira! Se você não fizer nada nunca vai acontecer nada.  A única coisa que você vai ganhar se ficar parado é uma cara cansada no espelho, amarga e mal-humorada por não ter vivido teu sonho. O universo não quer pessoas amargas, ele quer que você entenda de vento no rosto e converse com estrelas, coisas que só quem ainda não desistiu entende. Coisas que só quem está no caminho do sonho enxerga e aproveita. Quando você dá o primeiro passo em direção ao desejo da tua alma, tudo conspira para que você consiga realizá-lo, e isso é tão piegas que eu nem sei dizer, mas acredite, o universo trabalha a teu favor.

Já vi gente que esconde a idade porque cada vez que lembra há quantos verões está por aqui, fica melancólico.  Essa é a maior prova de que a pessoa não está no caminho. Porque não tem coragem de olhar no espelho e ver que não se tornou aquilo que sonhava, que está muito longe do que queria ser, que a criança cheia de sonhos que um dia morava nas suas pupilas não se orgulharia nem um pouco do que se tornou. Que não teve bravura para tentar e todos os dias inventa uma desculpa para não começar agora. E o pior, acredita nessas desculpas esfarrapadas e permanece inerte. Claro! Você está certo, afinal a inércia não é tão ruim assim. Ela é ótima para proteger corações. No fim de tudo você estará lá com seu coração inteiro e bonito, pois sonhos machucam e você preferiu não arriscar. Desculpe a ousadia, mas se algum dia a gente se encontrar para comparar corações, quero estar com o meu em frangalhos, mas com a certeza de que minha vida não foi em vão.

Ainda dá tempo! Hoje ainda é 2015, hoje ainda é julho, hoje ainda é quinta, hoje você ainda está vivo. Alguém decidiu te dar mais um dia na esperança de te ver tomar coragem. Faça suas próprias oportunidades. Sonhos tem cheiro de liberdade, tem gosto de vida e cor de alegria. E o preço que você vai pagar para ter seu coração inteiro é mais dolorido do que arriscar. Não existe destino, existe luta. Faça por merecer, mereça ser o que quiser, mas mereça primeiro. Dê o primeiro passo. Deus dá asas, voe.

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Solidão em paz

solidão em paz

A solidão em paz é a melhor coisa que pode acontecer a um coração. Só você e mais ninguém. Ninguém no mundo que poderia te ligar e arrancar um suspiro desse peito ou um sorriso bobinho dessa boca. Nenhuma entrelinha de mensagem de texto para interpretar ou te fazer ficar horas tentando decifrar. Nenhum silêncio gritando nenhum nome. Nenhuma palavra solta no ar. Nenhum fim para temer e nenhum começo para te prender. Nenhum telefone anunciando um dia inteiro de espera frustrada. Nada pra esperar. Só você por você mesmo. Não há nada de errado com a solidão, vocês podem ser melhores amigas se aprenderem a respeitar os espaços uma da outra. Na verdade no final você até simpatiza com ela. Acordar todos os dias pra você mesmo pode ser uma das melhores escolhas da sua vida se você se convencer de que a paz que procura ninguém pode te dar, exceto você mesmo. Se você souber que nem todo mundo que está acompanhado é feliz. Na verdade existe mais solidão a dois do que gente querendo ganhar na sena. A propósito sempre ouvi dizer que o amor é uma loteria. Nunca entendi direito, pois se considerarmos a quantidade de quem ganha lá e aqui, vamos ver que o amor é bem mais fácil. E depois o amor não é um jogo, ele é a mesa, a base, o centro, ele sempre esteve lá. Somos nós, na nossa concepção de seres desenvolvidos que começamos a mudar tudo de lugar e fizemos essa bagunça. Temos medo da solidão quando devíamos agradecê-la por existir. É ela quem dispensa todas as forças pra te dar um pouco de paz entre uma loucura e outra que você comete. Porque a gente sempre promete, mas nunca consegue ficar muito tempo sem se meter em encrenca. Se você tem medo da solidão é sinal que não é um bom administrador de sentimentos. Pois, a solidão sadia é tipo arrumar seu quarto bagunçado. Você entra, fecha a porta e começa a faxina. Quando ele está pronto, você fica tão orgulhoso do bom trabalho que fez que não quer deixar ninguém entrar por um bom tempo. Fica ali curtindo aquela paz. Aquele lugar que antes era só turbulência agora está limpo e reconstruído, e isso é mérito seu. Aproveite.

Bethania Davies

Foto: reprodução.