Dicas de consultoria de imagem

Meninas, papel e caneta na mão para as dicas desse post!

Na quinta-feira passada (04) eu participei de um Workshop de Consultoria de Imagem na loja Gaúcha Megastore, em Cascavel. Quem ministrou a super “aula” foi a consultora de imagem Lici Diniz, que é do Rio Grande do Sul, mas mora em Nova Iorque há mais de três anos.

Eu já conhecia o trabalho da Lici por meio da jornalista e apresentadora Érika Okazaki, que inclusive foi uma das responsáveis pela realização do workshop e no dia falou sobre as últimas tendências da moda. No mês passado eu participei de uma oficina na faculdade que a Érika ministrou sobre Jornalismo de Moda e Consultoria de Imagem, e ela nos apresentou o trabalho da Lici. De cara eu fiquei encantada pelo universo da consultoria de imagem (e isso que eu só conhecia, e ainda conheço, uma pequena parte dele) e pela própria Lici, e quando eu fiquei sabendo que ela estaria no Brasil para esse evento na Gaúcha, não pensei duas vezes!

Você sabe que uma imagem vale mais do que mil palavras, né? E sabe por quê? Porque a nossa imagem fala (se comunica) por nós, mesmo quando estamos em silêncio. Nós estamos emitindo mensagens o tempo todo, seja através da nossa fala, da postura do nosso corpo, das nossas expressões, nossos gestos, e por meio das roupas que nós estamos usando (da nossa aparência). Por isso é importante sabermos que tipo de mensagem estamos emitindo, e qual mensagem nós queremos emitir, quando escolhemos o nosso “look do dia”. É aí que se aplicam os conhecimentos em consultoria de imagem.

Aqui vão algumas dicas que eu anotei para repassar para vocês!

Primeiro, o autoconhecimento é fundamental! Nós precisamos saber, conhecer, quem nós somos realmente, por dentro, e por fora. Conhecer os nossos traços físicos, nosso contraste (cor do cabelo+cor dos olhos+cor da pele), nossos gostos, qualidades e defeitos. Tudo isso vai nos ajudar na hora de compor a nossa aparência e colocarmos o que temos de melhor em evidência.

Para as mulheres que querem parecer mais altas, as dicas são:

Apostar em looks monocromáticos, pois eles alongam o corpo;

Cuidar com as proporções. Pessoas miúdas, acessórios miúdos. Pessoas grandes, acessórios grandes. Isso serve para o comprimento do cabelo e o tamanho do salto também!

Para as mulheres que querem parecer mais magras (quase nenhuma né? haha!):

Tons escuros e linhas verticais afinam;

Usar modeladores de corpo;

Evitar produções com muita informação;

Nunca usar roupas com numerações maiores do que numeração que você usa.

Uma dica legal é tirar uma foto do corpo (sem a cabeça), para nós conseguirmos enxergar como realmente somos. Eu ainda não tentei, mas segundo a consultora, quando olharmos para foto o nosso senso crítico não vai ser tão rígido como é quando nos olhamos no espelho!

E outra coisa importante que a Lici ensinou, é que para fazermos uma boa compra, na hora de comprar uma roupa precisamos levar em conta se temos, no mínimo, três peças no guarda-roupa que combinem com ela. Ou seja, nada de fazer a louca e sair comprando só porque achou bonito ou está na moda! Rs.

Enfim, o post já está muito longo e cheio de informações, mas quero deixar o link de uma reportagem que a Érika fez com a Lici lá em NY e que vai ajudar vocês a entenderem mais sobre o trabalho de consultoria de imagem.

Aqui estão algumas fotos do workshop:

Brinde Gaúcha com kit BioExtratus, Lepetit personalizado e sacola Gaúcha

Érika OkazakiLici Diniz2Tia Dé, mamis e euworkshop

Fotos: Gaúcha Megastore, Érika Okazaki e Ana Paula Mocelin.

Então, eu achei: comunicação

Fazer comunicação é fácil, né? Afinal, todo mundo se comunica. Uns falam, outros escrevem, alguns desenham e tem aqueles que só de olhar já conseguem se comunicar. A comunicação é nata ao ser humano. Mas será que todo mundo sabe fazer isso direito e consegue passar a mensagem de maneira clara, para o público certo e com conteúdo relevante?

Tenho as minhas dúvidas, mas muita gente acredita que sim e é por isso que o jornalista concorre com a blogueiraque escreve errado, mas ganha credencial de “imprensa” para “cobrir” eventos, eo publicitário concorre com o sobrinho de 13 anos do dono da loja, que “manja” de photoshop e cria “maravilhas” com comicsans. Porque acreditam que eles sabem se comunicar.

E talvez eles saibam mesmo. Com certeza o post da blogueira e a criação do garoto passam uma mensagem para seus públicos. Não vou questionar o dom de cada um. Mas será que passam a mensagem certa?

Se é uma questão de dom, por que estudar teorias da comunicação, sociologia, filosofia e tantas outras disciplinas teóricas? Porque são elas que nos dão argumentos para definir qual o melhor canal, linguagem, abordagem para passar a mensagem para o público definido.

Mais do que comunicar, o profissional de comunicação tem o desafio de fazer bem feito e de convencer seus interlocutores de que é o profissional certo para isso. E quando consegue, quando embasa seus argumentos, faz a sua mensagem brilhar e se destacar no meio de tantas blogueiras e criativos “natos” que existem por ai. Estudar comunicação vale à pena!

Andresa Trentini

Formada em Publicidade e Propaganda, com MBA em Marketing.

slv050

Foto: reprodução.