Plano Bê: solar

girasoleDizem que a flor, que conhecemos como Girassol, era uma estrela apaixonada pelo sol que, todos os dias, chegava mais cedo no céu só para poder vê-lo. Mas seu amor era impossível, já que ela era destinada a brilhar a noite e acompanhar a lua.

Um dia ela foi pedir ao rei dos ventos que encontrasse uma forma para que ela pudesse viver este amor e ele então lhe disse que sendo uma estrela isso nunca seria possível, mas que, se ela renunciasse ao céu e viesse para a terra, ela poderia sentir o toque do seu amado todos os dias.

Sem pensar duas vezes a estrela concordou e veio para a terra em forma de semente. As mais lindas chuvas, enviadas pelo rei do vento, a fizeram crescer e o sol a fez florescer e explodir todo seu amor em forma de uma estrela com pétalas amarelas. Desde então sua energia vital é o sol e ela passa seus dias olhando para ele e seguindo-o por onde ele for.

Essa historinha me fez pensar sobre o quanto queremos realmente as coisas para nossa vida. O quanto estamos dispostos a abrir mão, em nome de um objetivo maior. O quanto aproveitamos o toque do amor, o calor dos que nos rodeiam e o quanto somos perseverantes quando o “tempo está fechado”. Um dia de chuva é uma delicia pra ficar em paz, ler, escrever, pensar e organizar a “casa”, mas quão maravilhoso é um dia de sol!

Olha só, ontem eu estava pensando em quanto tempo eu conseguiria manter meu discurso e minhas atitudes positivas, duvidando de tudo que é capaz de me fazer rir, e hoje acordei com uma puta vontade de ligar para o Serviço de Atendimento ao Consumidor de qualquer marca pra perguntar se a moça do outro lado está bem.

O sol tem mesmo esse incrível poder de despertar em nós a vontade do novo. Essa vontade de correr atrás de algo.É uma energia que toca nosso mundo com autoridade e os move. Sol dá vontade de fazer acontecer. Aquele sonho antigo, aquela coragem enferrujada e aquela voz negativa na sua cabeça não tem a menor chance num dia de sol.

Manhã de sol, sexta com sol, sábado de sol, praia com sol, piquenique com sol e até segunda-feira com sol é incrível. O escuro da noite não deixa a gente enxergar soluções, saídas, recomeços, mas basta amanhecer que tudo se transforma em possibilidades. Sabe por quê? Porque, como a estrela apaixonada pelo sol, não fomos feitos para caminhar na escuridão.

Por isso eu desejo que você sempre caminhe na luz. Faça uma loucura, lute e vá em busca do seu sol, sinta a vida correndo em suas veias e a vontade de voar bem alto quando o dia está azul e o sol chega. Que seus dias sejam todos ensolarados.

Bethania Davies

Plano Bê: permita-se!

guarda

Ouvi um podcast esta semana que dizia que quando uma criança nasce, a primeira coisa que ela se dá conta é da mãe. Conforme crescemos, nossa percepção do mundo aumenta e mais pessoas vão se agregando à nossa vida: tios, padrinhos, amigos, professores. O círculo só aumenta e nós sabemos quase tudo sobre os outros. Os outros, sempre os outros.

De dentro pra fora é tão fácil opinar, palpitar, observar. Já tentou olhar para dentro? Olhar para você? Tomar consciência, observar nossa vida e atitudes é muito difícil quando somos o personagem principal dessa história, na verdade algumas pessoas passam a vida inteira sem se olhar de fato. Olhando para os outros, amando os outros e achando soluções para a vida e erros dos outros, enquanto seu próprio eu está lá jogado num canto.

Se fizer uma lista das pessoas que você mais ama, de quem é o primeiro nome? Sua mãe? Seu filho(a)? A dica de uma amiga muito querida e que eu faço questão de repassar, é: coloque-se no topo desta lista. Seja o número um da sua própria lista.  Se ame em primeiro lugar e você não precisará ter a difícil tarefa de escolher quem fica em segundo ou terceiro lugar. Quando você se ama primeiro, traz todos que ama com você. É maravilhoso.

Olhe para você, pergunte-se como tem passado. Quais certezas você tem? No que você é bom? Seus amigos acreditam em você e por que você não? Você é só uma criança descobrindo a vida, insegura e amedrontada pelo tamanho do mundo, mas olhe para você de dentro para fora. Você é incrível! Você tem muita coisa pra conquistar só precisa se permitir.

Eu sei que você quer, mas querer é diferente de se permitir. Permita-se ser tudo que você tem capacidade para ser. Se reconheça. Se olhe no espelho através de tudo que existe no plano físico. Se olhe no espelho até que só reste aquele minuto no tempo e diga para você mesmo: “você tem a minha permissão para brilhar”. Falar sozinho é coisa de louco mesmo, mas não se preocupe, a sanidade é só ilusão de gente que nunca vai saber o que veio fazer aqui, e na verdade só sendo louco para ter coragem de se exercer em plenitude.

Isso aqui não é autoajuda brega.  É só uma coleção de notas pessoais de uma alma que está tentando se amar acima de tudo e encontrar um sentido para ser tudo que quer ser (eu), para uma alma que tem potencial para ser tudo que quer e ainda não se deu conta disso (você).

Olhe para você e se veja como eu estou vendo agora. Uma luz ardente e capaz. A minha luz reconhece e reverencia a sua. Namastê.

Bethania Davies

Plano Bê: amar errado

1

Não vai morrer, não minha filha! Sossega que a saudade aperta um pouco, mas não esmaga. Sufoca, mas não asfixia.

Os sintomas? Ela tira teu sono e faz teu coração doer, e, às vezes, você pode se desidratar e secar todo o líquido do teu corpo chorando. Mas só em alguns casos, porque se você for das minhas, no meio dessa loucura toda, você vai achar um raiozinho de amor próprio e vai parar!

O remédio? Amor próprio. Olha ele aí de novo, né? Todo mundo fala tanto nesse tal de “amor próprio”, mas o fato é que anda muito difícil vê-lo por aí.

O fato é que dar conselhos todo mundo dá, mas ninguém segue a doutrina que prega.

O fato é que não existe uma poção mágica que você vai tomar e começar a se amar, o amor próprio tem que vir de dentro, da vontade de se valorizar.

O fato é que tem muita gente que não sabe amar. Eu? Imagina! Quem sou eu pra dizer que sei? Mas eu observo e vejo que amor hoje é confundido com posse, com ciúmes. Olho em volta e vejo que amor é usado como troféu, como chantagem, e até como desculpa para o mal.

O fato é que as pessoas querem encontrar o amor antes de encontrar a si mesmo, não sabem onde estão e exigem do outro um norte, não sabem quem são e exigem que o outro se posicione.

O fato é que muita gente acha que o outro tem a função de nos completar quando, na verdade, ninguém é responsável pela nossa felicidade a não ser nós mesmos. Que temos que ser inteiros para só depois sair à procura de uma metade.

Conversa chata, super clichê, blá, blá, blá, eu sei…Todo mundo fala isso o tempo todo, mas se fala o tempo todo é porque ninguém nunca ouve e assim o mundo continua dando murro em ponta de faca.

Mas o melhor fato de todos é que você leu e se encaixou em alguns itens desta lista e, pelo menos, até o próximo passo você está ciente que ninguém tem a culpa por você. Se você ama errado você vai sentir as consequências disso mais cedo ou mais tarde.

E quando aprender a amar certo vai se bastar, vai saber que ninguém morre de amor. Que ninguém merece ter a responsabilidade de nos completar e que só depois que alguém está cheio de amor por si próprio é que está preparado para amar outra pessoa.

Bethania Davies

Plano Bê: namorando

Captura de tela inteira 12062014 130124

Eu tive um namoradinho aos 16 anos, durou apenas o mês de junho, eu era ingênua e queria mostrar pra sociedade que eu tinha uma pessoa que merecia o título de namorado. Assim, o que já havia começado errado, só fez piorar e só seguramos as pontas até passar o dia 12. Não sei por que a gente tem essa hipócrita necessidade de mostrar ao mundo que pertencemos a alguém. Essa história acabou antes de pronunciarmos a palavra amor um para o outro.

Depois eu tive uma pessoa com quem passei quatro “Dia dos Namorados”, e eu fui boba cedendo ao ciúme doentio e aceitando brigas desleais demais para duas pessoas que se diziam maduros. Com tudo isso, fomos felizes e amamos, até o dia em que finalmente acordei e a razão prevaleceu. Resolvi que não me faria feliz desistir do que sou e mudar meus conceitos em nome de uma palavra só: amor. Tive medo do mundo sem ele do lado, meu namorado protetor, mas minha mãe sempre me ensinou a ser autossuficiente. Respirei fundo como quem precisasse não apenas ar pra aquela decisão, mas coragem; me olhei no espelho para ter certeza de quem eu era e saí desse namoro em paz, torcendo para que o amor e eu pudéssemos nos encontrar mais tarde, quem sabe, em outra estrada.

O último dia 12 de junho eu passei com alguém que me fez muito feliz e que me ensinou o sentido da palavra desapego, descobri que alguns relacionamentos começam e acabam simples assim. Aprendi que no mundo há milhões de pessoas indo para todo lugar, e que as vezes seu caminho se cruza com alguém por um tempo pra que os dois aprendam algo, e depois em uma encruzilhada qualquer, chega a hora em que eles se separam e cada um segue sua vida. O desapego e o amor deveriam andar sempre juntos, porque você ama, mas não sente necessidade de ter propriedade sobre a pessoa, assim, no final só ficam as coisas boas. Foi a coisa mais bonita que ele me ensinou e somos amigos até hoje. Mas o amor, ah o amor! Continuei sem sabê-lo.

Como as três histórias fazem sentido? Acontece que hoje é Dia dos Namorados e depois de tudo aquilo, eu encontrei o amor. Um amor que eleva e me faz crescer, amor que transborda e colore a minha vida com alegrias desmedidas. Amor que me deixa livre para que eu me exerça inteira. Amor que todos os dias me mostra tudo que tenho de bonito e errado e, no final, diz que me aceita assim, que me ama assim do jeitinho que sou, com minhas frases desconexas, minha mania de roer unhas e minha coleção de livros cheirando à poeira velha. Amor que liberta com os olhos e abraça com o coração.

Um amor como nunca meus olhos imaginariam ver, mas agora faço questão de vê-lo todos os dias no meu espelho. Acontece que todo esse tempo eu procurava o amor fora. Mas agora o encontrei onde ninguém mais conseguiu perceber. Aqui. Em mim. Porque só quando estiver transbordando de amor próprio é que uma pessoa está pronta para o amor de outrem. Ninguém merece carregar a responsabilidade de nos preencher. E meus dias dos namorados se tornaram bem melhor depois que aprendi isso. Porque dia dos namorados não é só para casais.

Feliz Dia dos Namorados a todos os que descobriram o mesmo amor que eu!

Bethania Davies

Foto: reprodução.