Plano Bê: caí direitinho

2 (1)Escuta aqui! Você não pode chegar assim na vida de uma pessoa e ir fazendo o que está fazendo, não! Você me deixou pensar que eu tinha o controle. E fui te dando espaço até não ter mais o controle de nada.

Você me enganou e eu caí direitinho! Chegou com cara de quem nada queria, sorriso de criança quando abre caixa de presente e me tocou de mansinho como o vento perfumado que balança as árvores no mês de setembro. Baixei a guarda achando que você era inofensivo e agora olha eu aqui, escrevendo para você feito uma adolescente bem boba. Eu sempre pareço uma adolescente boba quando me apaixono. E, para não restar nenhuma dúvida, sim, eu estou apaixonada.

Foi diferente dessa vez. Não foi urgente como sempre são as coisas do amor na minha vida, foi tranquilo, foi terno e leve. O que há com você, hein? Tempestade e calmaria ao mesmo tempo, você tem o dom de fazer grandes coisas acontecerem sem que eu mesmo perceba. Foi entrando sem fazer muito alarde e pressentindo que vou querer te convidar para ficar para sempre, pois você jogou por terra todas as minhas teorias de que amor é algo complicado. Tudo é tão fácil com você, tão leve e tão natural que, ontem, quando percebi, estava tendo que me controlar para não te chamar de “amor”. Ainda estou.

Ah, meu Deus! Você faz ideia de quanto tempo faz que não tenho vontade de chamar alguém de “amor”?

Caí direitinho no labirinto de emoções que você trouxe. Eu não sei o que você está fazendo comigo, eu não sei nem o que eu estou fazendo comigo em relação a você. Só sei dizer que te conhecer foi como encontrar um lar. Eu disse “muito prazer”, mas minha alma sussurrava “quanta saudades eu senti”. Foi lindo!  Teu abraço é como voltar para casa, agora entendo por que sinto tanta paz dentro dele. Me sinto em casa ouvindo teu coração pulsar no mesmo ritmo do meu.

Você me enganou e eu caí direitinho. Caí em todas as armadilhas de amor possíveis. Logo eu, que sempre fui tão astuta. Caí de amores desde a primeira vez e todos os dias escolho cair de novo, levando isso adiante. Estou caindo de amores agora mesmo, te escrevendo e imaginando você lendo e sorrindo de canto de boca.

Caí na armadilha quando mandei a primeira mensagem “só para ver qual é a dele” e depois a segunda e depois a terceira e, quando percebi, já estava sorrindo feito boba olhando para a tela do celular falando com você quinze horas por dia. Caí na armadilha quando firmei meus olhos nos teus e vi o tempo parar ali, e eu, que sempre ganhei nos jogos de amor, naquele segundo, perdi.

Perdi quando desejei provar o beijo e depois descobri que nunca antes, um beijo foi tão verdadeiro. Nunca antes, um beijo conversou com minha alma como o teu beijo faz. Foi como se toda a minha vida eu tivesse vivido para aquele momento e só. Todo o passado e todo o futuro se encontraram quando olhei para você e você sorriu.

Quando encontrei você, eu encontrei o que eu estava procurando. A espera acabou, a busca acabou, a tempestade acabou, e o melhor de tudo é que a nossa vida está só começando!

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s