Plano Bê: quando foi que eu cresci?

5Eu tinha prometido que não iria deixar, nunca, os enredos de adulto me afastarem da criança sonhadora que fui. Eu tinha um porto seguro, um forte construído de sorrisos fáceis, algodões doces e estrelas cadentes, para onde eu corria quando o dia a dia tentava me enlouquecer. Mas um belo dia eu perdi a trilha, os passarinhos comeram as migalhas de pão que deixei para saber voltar e nem me dei conta. Quando foi que eu cresci?

Será que foi no dia em que liguei a TV e achei mais interessante me informar sobre os problemas do mundo? Será que já tinha sido no dia que eu comprei a TV? Deveria ter ficado nos livros e me ocupado mais com achar meu próprio Guarda Roupa para Nárnia.

Quando foi que eu cresci? Será que foi naquele dia em que deixei de sorrir para uma criança na rua? Será que ele me categorizou como “adulto chato”? Seria um título pesado demais pra mim que ainda não tive coragem para admitir que a vida me endureceu um pouco.

Quando foi que eu cresci? Talvez tenha sido no dia em que não deu mais para minha mãe consertar meus erros. Foi quando eu descobri que os adultos, quando fazem algo errado, precisam ir lá e consertar. Será que foi nesse dia que eu descobri que ninguém quer ser, de fato, livre? É que com a liberdade vêm responsabilidades enormes. Ou será que foi no dia em que descobri meu próprio jeito de consertas as coisas, respirando fundo e deixando fluir.

Será que eu cresci quando comecei a deixar a opinião das pessoas mexerem com meu jeito? Tomarem as decisões por mim? Caramba! Eu tinha prometido que não ia deixar isso acontecer! Acho que cresci um pouco no dia que descobri que não sou boa em cumprir minhas próprias promessas. Talvez no dia em que resolvi parar de prometer e deixar a vida me dar o que ela quisesse.

Será que eu cresci no dia que desconfiei que Papai Noel não existe? Eu me lembro até hoje e ainda sinto a mesma raiva que senti no momento em que ouvi uma pessoa me dizer: “Papai Noel não existe”. Ou será que eu cresci quando resolvi, mesmo sabendo que o mundo está doente, acreditar no Papai Noel? Acreditar em pessoas que amam o próximo, acreditar que pode ter uma solução. Será que crescer é isso? Enxergar a realidade se desfazendo e mesmo assim ter fé na humanidade? Acho que é.

Quando foi que eu cresci de verdade? Eu não vi esse dia chegar. Não é como um aniversário com data marcada que você fica esperando e acontece. Não é como dormir e acordar diferente. Quando você percebe, você já está chato, está reclamando do som alto, está discutindo política. Quando você se dá conta, o estresse do trabalho já não deixa sua criança aparecer.

Ela te assiste de um universo paralelo por detrás de um espelho e fica com medo de se aproximar. Com vergonha de que você julgue muito bobo lembrar-se da boneca do vestido rosa, ou do balanço debaixo daquela arvore grande e bonita que você gostava. Ela gostaria muito de te fazer lembrar-se de como coisas tão simples te faziam tão feliz, mas ela tem medo de se aproximar, medo do adulto chato que você se tornou e, assim, cada dia fica mais difícil de resgatá-la.

Eu deveria crescer, eu sei. Eu já devo ter crescido, mas eu me recuso a esquecer. E admito sim que cada dia preciso fazer mais força para me encontrar com a criança que gostava de achar desenhos nas nuvens, de unicórnios e portais mágicos. Mas estamos na luta e ela sabe que eu não vou deixá-la sozinha lá naquele lugar. Que eu prometi voltar sempre para lermos uma história e fazer biscoitos com açúcar colorido. Que eu prometi deixar ela me levar sempre que a sensatez manipulada estiver me enlouquecendo.

Eu não sei quando eu cresci, eu sei é que faço um esforço danado, todos os dias, para continuar acreditando. Afinal, se eu me desligar de tudo que me fez ser o que sou hoje, o que vai me sobrar? Melhor não crescer. Melhor adoçar o coração, esperar o Papai Noel e me fascinar com as luzes de natal. São as coisas simples que trazem alegria e só sendo um pouco criança para enxergar a riqueza que há na simplicidade.

Bethania Davies

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s