Plano Bê: coisas que já não importam

934918fb5dfb5c903366ca457b6d1f19

Ainda não me acostumei com te olhar agora, assim, de perto ou de longe, te ver sorrir e não me desconcertar. Ver você chegar e meu coração não ameaçar uma parada cardíaca. Te ver passar na rua e ser só um cara que passou, indo pra algum lugar que não me interessa.

Obrigada por me ensinar a viver sem você. É libertador! É bom poder olhar sua foto em paz, sem dor e nenhum um pingo de amor. Só olhar, sem culpa, sem me faltar o ar, sem mágoa, sem nem um resto de vontade, nem um pouco de saudade, sem nada. Absolutamente nada.

Você continua lindo, mas isso já não importa mais. Você pode ser lindo aqui ou lá na Califórnia surfando, tanto faz, vai ser só mais um cara lindo que anda por aí sem saber o que perdeu, perdemos, mas isso também já não importa mais. De verdade mesmo. Só depois que passa é que a gente percebe porque não deu certo com certas pessoas, e percebemos assim na boa, sem doer, isso é ótimo!

Sei que você anda por aí, vivendo, trabalhando, estudando para aquele concurso e que sua tatuagem tá meio desbotada pelo verão intenso, talvez logo tenha que retocá-la. Talvez pense em viajar nas próximas férias ou trocar de carro no outono, tanto faz. Pode ser que esteja começando uma nova série ou ocupando seus sábados com outra garota. Mas essas são coisas que já não importam mais.

É que eu sempre ouço sobre você em algumas conversas de amigos por aí e fico feliz por mim ao perceber que o conjunto específico de consoantes e vogais que formam seu nome não causa mais nenhuma instabilidade aqui. E feliz por você ao saber que também recomeçou, em fim, você sabe se cuidar mais do que eu e vai ser feliz, afinal, foi você me ensinou que a vida segue. E mesmo que não seja mais como a gente sonhou, ainda estou seguindo o plano original. Ser feliz com ou sem você.

Aliás, nem sei por que estou te escrevendo, talvez ainda reste uma vontade de te dizer que vou sempre ter orgulho da maneira como você segue em frente. Talvez seja uma vontade de agradecer por me ensinar a seguir também. Talvez seja essa minha mania de justificar tudo sempre. Sei lá, acho que não temos nada pra justificar ou deixar no ar. É só um lembrete de que foi ótimo sermos adultos o suficiente pra perceber o que não brilha mais. De resto é isso. Eu sigo em frente se você seguir também.

Bethania Davies

Foto: reprodução.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s