Plano Bê: quinze minutos

plano beOs mocinhos conseguem ficar juntos, o vilão morre, a novela acaba e pronto. Ninguém quer saber o que acontece depois do fim de uma novela, porque felizes para sempre é bonito, mas só pelos primeiros quinze minutos. Será por isso que sofrer por amor está tão na moda? Estão achando bonito? Essa é uma das minhas hipóteses pra existir tanta gente que não se valoriza nos relacionamentos de hoje. Nunca nos contentamos com nada e sempre temos um segredo, um amor que, lá no fundo, ainda nos perguntamos “será?”. E assim nos acostumamos a não dar valor ao que temos nas mãos e passar nossos dias a esperar pelo amor que nunca veio, que nunca virá.

Esperar pelo “felizes para sempre” se tornou, parece, mais bonito do que sê-lo realmente. Nos falaram que amar é complicado, que amor não dura pra sempre, que ser feliz é ilusão e nós acreditamos. Acreditamos porque não temos coragem de lutar por um final feliz, temos medo de que a teoria se confirme. Será medo do sofrimento ou da felicidade? Não sei, só acho que frases, rostos e histórias de amor frustradas estão cada vez mais presentes por onde passo meus olhos e não gosto disso. Estão usando o amor para justificar um bocado de coisas erradas. Esqueceram que destino não existe, e que toda frustração é nossa culpa, não do amor. Somos nós que não temos coragem pra lutar por ideais, nós que temos medo de dizer quem somos, nós que nos escondemos atrás de uma parafernália tecnológica e não temos coragem de mostrar os olhos.

Assinamos nossa sentença e estamos destinados a vagar por aí entre sentimentos insuficientes e pessoas vazias a procura de um amor que inventamos, sem perceber que ele sempre esteve ali. Ignorando todas as vezes que caminhamos ao seu lado, que dividimos o mesmo pôr do sol, que nos embriagamos dele. Tão cegos passamos nossos dias ao lado dele, mas olhando em outra direção. Nossas fraquezas tão humanas e mesquinhas nos fizeram acreditar que amor é algo triste e que amar dói. Nos enganamos, o amor não é o fim, é apenas o começo. E o “felizes para sempre” depende de você fazê-lo durar além do que escassos quinze minutos.

Bethania Davies

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s