Então, eu achei: filme

Confesso que pensei 2 vezes se deveria escrever sobre esse filme. Achei arriscado dar minha opinião sobre um clássico. Mas como opinião é pessoal e não necessariamente uma sentença, resolvi dizer o que achei.

Então, a sinopse do filme diz que é uma adaptação do espetáculo da Broadway, que foi inspirado na obra,  do escritor francês Victor Hugo.

Tive vontade de assisti-lo, pois adoro filmes épicos, adoro a Anne Hathaway e estava curiosa pela famosa história de Victor Hugo, que eu sei que jamais terei paciência de ler. – Sendo bem franca, não me interesso muito por esses clássicos,cults, com linguagem difícil que eu custo a assimilar… rs– Mas quando o filme entrou em cartaz nos cinemas eu vi que se tratava de um musical com quase 3 horas de duração e desanimei. Era preciso mais do que um pouco de curiosidade para encarar esse desafio. Rs Então fiz uma viagem longa, 9 horas de voo e adivinha qual filme tinha para assistir? Ele mesmo. Como eu não tinha para onde correr, ficaria presa ali pelas próximas 9 horas, encarei o desafio.

O filme começou e já fiquei meio incomodada. Era mesmo um musical. Todas as falas, TODAS, eram contadas. Precisei pausar o filme duas vezes para tirar um cochilo, mas acho que a culpa foi mesmo do fuso horário.

O filme é lindo. Triste, forte, cantado, mas muito bonito!

A sinopse diz: A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).  Dai a trama se desenvolve e a gente entra naquele mundo de opressão, de muita desigualdade, sofrimento e de muita, muita, muita, muita injustiça.

Sabe aquele filme que te prende? Depois dos meus dois cochilos fiquei vidrada. Adoro história e o filme mostra um ponto de vista da Revolução Francesa que eu não conseguia compreender nos tempos de escola. Não sei se não conseguia ou se não tinha tanto interesse em entender o que de fato aconteceu, o que motivou aquelas pessoas a se rebelarem contra o sistema, contra o poder dos mais ricos e mais “fortes”. Fiquei impressionada com as condições de vida daqueles que lutaram por si e por nós, afinal se não tivessem se rebelado talvez estivéssemos na mesma situação ainda.

Eu estava exatamente voltando de Paris quando assisti ao filme e fiquei pensando que toda aquela majestosa cidade, de prédios lindos, históricos e centenários que eu tinha acabado de conhecer tinha sido construída as custas de muitas vidas. Vidas como a de Fantine, personagem da Anne Hathaway, Jean Valejean, personagem do Hugh Jackman e tantos outros miseráveis.

Pra mim o filme foi motivador. Terminei de assisti-lo com a sensação de que têm razão aqueles que dizem que o mundo está melhorando. E está mesmo! Para e pensa, hoje podemos trabalhar e lutar pelos nossos direitos sem sermos condenados à guilhotina. É claro que ainda temos um caminho longo a percorrer e algumas aberrações cometem atrocidades por ai, mas em geral eu não acho que o mundo esteja piorando.

Ops, me perdi do assunto, né? Rs Voltando a falar do filme, no final das contas eu gostei muito! O filme é lindo e acho que mesmo sendo musical, vale à pena ser assistido.

Beijos,

Andresa

FILME

Os miseráveis(LesMisérables)

Gênero: drama, musical

Duração: 2h 38min

Elenco: Hugh Jackman, Russell Crowe e Anne Hathaway.

Lançamento: fevereiro de 2013.

Os Miseráveis

Foto: reprodução.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s